ABDTY – Seja Benvindo!

ABDTYCurta nossa página no facebook: 
cropped-guru-shishya3.jpg

Seja benvindo à página da Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga. Este é um espaço de divulgação de informações e eventos e para troca de idéias entre os associados e simpatizantes do Dakshina Tantra em todo o Brasil, de forma dinâmica e direta.  

 A Associação Brasileira de Dakshina Tanra Yoga funciona no Rio de Janeiro, na Rua Santa Clara 98, cobertura 1. Se você é professor de Dakshina Tantra, de outra modalidade de Yoga, praticante ou apenas simpatizante, visite nossa página e acompanhe nossos textos e nossa programação e conheça um pouco mais sobre a fascinante tradição do Dakshina Tantra Yoga
Hari OM!
Ricardo Coelho (Presidente da ABDTY de 2008 a 2012)

Diretoria biênio 2013-14:

Presidente: Rui Paulo Portela

Vice-Presidente: Daniela Muniz

Tesoureiro: Wanderley Martins

Coordenadora de Ensino: Valéria Vianna

Ensino e Difusão do Dakshina Tantra

A Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga, tendo por abreviatura a sigla ABDTY, fundada em 01 de fevereiro de 2000, é uma sociedade civil de Direito Privado, sem fins lucrativos, de finalidade social, não política, não religiosa, com seus atos constitutivos legalmente registrados e arquivados nos órgãos oficiais competentes em obediência à legislação vigente para total e absoluta garantia de seu funcionamento, tendo suas atividades definidas, amparadas e regidas pelo presente Estatuto.

A ABDTY tem como objetivo:
I – Pesquisar, codificar, promover e divulgar o Dakshina Tantra Yoga, sua técnica e filosofia, assim como disciplinas relacionadas;
II – Promover o intercâmbio com outras associações, nacionais ou internacionais onde se promova o estudo ou prática do yoga ou disciplinas correlatas;
III – Realizar cursos, palestras, seminários e outras atividades;
IV – Divulgar produtos, tais como livros, mídia, objetos promocionais, e utilizar os meios de comunicação disponíveis para a difusão do conhecimento do Dakshina Tantra Yoga;
V – Estimular a utilização do Dakshina Tantra Yoga integrado a outras técnicas e terapias, sem deixar de preservar a identidade, filosofia e conceitos da disciplina;
VI – Apoiar os associados, prestar-lhes assistência técnica e o auxílio necessário ao aprendizado, prática e aperfeiçoamento em Dakshina Tantra Yoga;
VII – Preservar a pureza do ensinamento do Dakshina Tantra Yoga, na forma como é ensinada pela Associação, tomando as medidas necessárias, judicial ou extra-judicialmente, nos casos em que forem verificados o uso indevido do nome e conceitos do Dakshina Tantra Yoga ou distorções no ensinamento desta disciplina.
§ 1° – Considera-se como “Dakshina Tantra Yoga” a tecnologia psicoespiritual, de origem indiana, transmitida conforme a tradição Guru-Discípulo pelo mestre indiano Maharishi Kartikeya Maharaj a Swami Dhirendra Bhramachari e deste a Swami Dattatreya e trazida ao ocidente por Paulo Murilo Rosas, que as aprendeu diretamente dos dois últimos mestres citados, a qual é descrita em seus livros publicados.
§ 2° – O termo tecnologia psicoespiritual pode ser definido como uma sabedoria e um conhecimento aplicados a serviço do destino evolutivo superior da humanidade através do estímulo à maturação psicoespiritual do indivíduo”

Para entrar em contato direto com a Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga envie email para dakshinatantra@gmail.com ou ligue para 2549-1707.

Dakshina Tantra… De pé, nos seus próprios pés…

Dakshina Tantra Yoga

 

O que é Yoga? Qual a diferença entre as diversas linhas, correntes ou filosofias, como se queira chamar? Como essa cultura milenar pode ajudar a resolver problemas e dificuldades enfrentadas pelo homem moderno? Numa simples frase lida ou ouvida em algum lugar, e que toma como sua, o professor Paulo Murilo Rosas, presidente da Associação Brasileira de Dakshina Tantra Yoga (ABDTY), responsável pela difusão de parte dos ‘segredos’ passados pelos mestres hindus ao longo dos anos, define: “Yoga não é ficar de cabeça para baixo, mas ficar de pé nos seus próprios pés.”

É com essa consciência que, no decorrer dos últimos 30 anos, Paulo Murilo vem plantando entre nós, ocidentais, sul-americanos e brasileiros, a sabedoria que bebeu na fonte, quando viveu na Índia e estudou com os mestres do Tantra (palavra que tem origem no sânscrito – Tantr – e significa controlar, governar). Foi deixando aqui e ali sementes que se espalharam, e ajudando pessoas a encontrarem o equilíbrio de sua personalidade, através do desenvolvimento da consciência individual. Daí o Tantra Yoga ser chamado de Psicologia do Yoga. É um sistema capaz de levar o indivíduo a governar ou controlar a si mesmo, tendo como objetivo a busca do auto-conhecimento.

Nós, da ABDTY, seguimos uma das duas correntes do Tantrismo, o Dakshina Tantra, também conhecido como o Tantra da mão direita, que considera que tanto homens quanto mulheres são dotados de características masculinas e femininas em sua personalidade. Características que devem ser equilibradas para que a pessoa possa transcender suas limitações e perceber que já é a felicidade que busca. É uma visão não-dual, ao contrário da outra linha, o Vama Tantra, segundo a qual só pela união do homem e da mulher – através da relação sexual ritualizada – se poderia atingir a experiência do nenhum, que caracterizaria a superação das diferenças individuais. Para o Dakshina Tantra, a experiência é passageira, acontece e termina; enquanto a vivência permanece na medida em que se incorpora à personalidade, passando a integrá-la.

Yoga não é ginástica

A prática do Yoga não envolve mistérios, nem implica tornar-se um recluso meditando nas montanhas ou florestas como fazem alguns yoguis indianos. Não é um conhecimento fechado destinado a um pequeno círculo de eleitos. Dirige-se ao homem comum, independentemente de profissão, classe, religião, nacionalidade ou idade. Não é também um nicho para crenças ou práticas religiosas. E nem pretende explicar o significado último da vida, segundo palavras do mestre inidiano Dhirendra Brahmachari, discípulo de Maharishi Kartikeya, o precursor do Tantrismo.

Mas Yoga também não é ginástica, embora algumas posturas e técnicas surtam efeitos sobre o corpo mais eficazes do que muitos exercícios praticados em academias. Portanto, não se deve ficar atraído apenas pela plasticidade de umas posturas ou pela agilidade de outras. O fundamental é buscar um trabalho completo e consciente. O objetivo do Yoga, ainda segundo Dhirendra, é desenvolver gradualmente a mente, de forma que se possa compreender a realidade e alcançar o auto-conhecimento por meio de um funcionamento saudável da mente e das emoções. Isso pode ser alcançado através de vários processos.

Trata-se de uma ciência? Não havia laboratórios à disposição dos mestres da antiguidade, mas considerando-se os efeitos alcançados, os estudiosos concluem que eles eram conhecedores de todas as funções vitais do corpo. Os exercícios são elaborados de tal maneira que ao mesmo tempo em que formam a musculatura, fortalecem os ossos e têm efeito significativo sobre os órgãos do corpo, como sistema digestivo, glândulas endócrinas e sistema nervoso. O mesmo mestre indiano considera que o Pranayama, ou retenção da respiração, ocupa um importante papel nessas séries: “De acordo com nossa ciência, existe um corpo sutil ao lado do corpo físico, e o conjunto dos exercícios de Asanas e Paranayama permite controle total sobre ambos. Este é o requisito essencial para o desenvolvimento espiritual.” Os exercícios podem prevenir e curar doenças, mas são mais valiosos no sentido de contribuir para uma saúde positiva, na forma de aumento de energia e bem-estar, como nenhum sistema de medicina pode fazer, avalia.

As várias linhas que trabalham com o corpo são originárias da tradição do Tantra e do Hatha Yoga. O Dakshina Tantra vale-se dos vários processos citados, partindo do princípio de que um corpo saudável é essencial para o desenvolvimento mental e espiritual. Utiliza-se, para isso, além dos conhecimentos contidos nos Vedas (escrituras sagradas hindus), de  várias práticas de preparação. E, o que é fundamental, todas as séries são individualizadas, de modo a atender às necessidades de cada aluno, o que não acontece com a maioria das práticas de Yoga no Brasil. “O caminho proposto pelo Tantra é a realização, a experiência direta, a vivência individual”, conceitua o professor Paulo Murilo em seu livro ‘Os Segredos do Tantra e do Yoga’. Segundo ele, a concepção tântrica vê o homem como uma combinação de energias e seu objetivo principal é dirigir-se à origem, à Mãe (Shakti), que contém e engendra todos os seres. “O Tantra Yoga consiste na utilização adequada dessas energias para se conseguir a realização plena do ser. À medida que o aluno toma consciência de todas as suas energias e de sua capacidade de lidar com elas, vai harmonizando seu interior e também se harmoniza como o todo.”